Jean-Jacques Rousseau – Biografia


Jean-Jacques Rousseau
nasceu em 1712,
Genebra – Suíça. Foi filósofo, escritor, teórico político
e um compositor musical autodidata. Uma das figuras marcantes do Iluminismo francês,
também é um precursor do romantismo. Não chegou a conhecer a própria mãe,
que faleceu após o trabalho de parto. O pai de Rousseau morreu quando ele tinha 10 anos,
de modo que ele teve uma juventude agitada. O menino Jean-Jacques aprendeu a ler e a escrever
ainda muito novo. Não teve educação regular senão por curtos períodos
e não freqüentou nenhuma universidade. Precisou trabalhar desde cedo e sentira o
que significava ser maltratado, explorado. Na adolescência, encontrando os portões
da cidade fechados, quando voltava de uma de suas saídas,
opta por vagar pelo mundo. Acaba tendo como amante uma rica senhora e,
sob seus cuidados, acaba estudando música e filosofia. Como professor de música autodidata, havia
inovado muitas coisas no campo da música, o que lhe rendeu um convite de Diderot para que escrevesse sobre isso na famosa Enciclopédia. Além disso, obteve sucesso com uma de suas óperas,
intitulada “O Adivinho da Vila”. Aos 37 anos, após ganhar um concurso,
Rousseau se torna famoso na elite parisiense, e é convidado para participar de discussões
e jantares para expor suas idéias. Entretanto, aquele ambiente não o agradava. Rousseau tem cinco filhos
com sua amante de Paris, porém, acaba por colocar seus filhos em um orfanato. Uma ironia, já que anos depois escreve um livro sobre
como se deve educar um filho. Ao 50 anos escreve o “Do Contrato Social” e
“Emílio ou da Educação”, duas de suas principais obras. As reações contra essas duas obras foram
tremendas, e de diferentes lados, inclusive de seus amigos filósofos e do clero, que
desfechou ataques contra quem consideravam um inimigo da ordem pública e da religião. O Parlamento de Paris condenou “Emílio ou da Educação” à fogueira e o autor à prisão, de onde escapou fugindo,
refugiando-se no interior da França. No entanto, muitas pessoas, de todas as categorias, viajavam quilômetros para inquiri-lo sobre suas idéias. Acabará por escrever muitas outras obras,
de cunho romântico, pedagógico e político. Era adepto de uma religião natural,
em que o ser humano poderia
encontrar Deus em seu próprio coração. No fundo, Rousseau revela-se um cristão rebelado,
desconfiado das interpretações eclesiásticas
sobre os Evangelhos. Sempre proferia uma frase:
“Quantos homens entre mim e Deus!”, o que atrairá a ira tanto de católicos
quanto de protestantes. Politicamente, expõe suas idéias em
“Do Contrato Social”, procura um Estado social legítimo,
próximo da vontade geral
e distante da corrupção. A soberania do poder, para ele,
deve estar nas mãos do povo,
através do corpo político dos cidadãos. Segundo suas idéias, a população tem que
tomar cuidado ao transformar seus
direitos naturais em direitos civis,
afinal “o homem nasce bom e a sociedade o corrompe”. Após toda uma produção intelectual, suas
fugas às perseguições e uma vida de aventuras e de errância, tendo se exilado por diversas
vezes em diferentes lugares, Rousseau termina por falecer aos 66 anos, onde estava hospedado,
no castelo de Ermenonville. Entretanto, até os dias de hoje, ele ainda
é um provocador, que leva muitos a acreditarem na bondade natural do ser humano e de como
a sociedade acaba destruindo essa bondade. E, por muitos, não é esquecido por sua
forte crítica à propriedade privada,
como causa da miséria entre as pessoas. Rousseau foi um iluminista à parte, talvez pelas suas próprias
experiências desde a infância.

22 comments

  1. Me gusta J.J Rousseau y su ideologia tu video esta muy bueno pero no entiendo ni una sola palabra , no hablo portugues ja

  2. Meus parabéns pelo vídeo muito bem elaborado. Fiquei muito feliz em assistí-lo. É uma grande contribuição para nossa visão da formação do homem e da sociedade, acredito fielmente que o homem nasce sim bom e livre, mas a castradora sociedade o corrompe e o encarcera em uma prisão de ignorância..
    Obrigada Claudio e parabéns mais uma vez pelo vídeo.

  3. Pegou leve. Rousseau era louco de carteirinha. E ainda não engulo essa de "vontade geral". Isso me parece mais idéia totalitarista, me lembra o "volksgeist" nazista…

  4. Gostei do vídeo,mas na parte 2:01 achei que a palavra "ironia" não ficou bem colocado,já que em 17/01/1770,se justificou em carta,à amante (Mme. Berthier),que abandonou os filhos na instituição de caridade pois preferia vê-los em um estado obscuro,sem o conhecer,que vê-los mal nutridos pela traiçoeira generosidade de seus inimigos(como voltaire)ansiosos para ensiná-los a odia-lo,ate mesmo o trair.Talvez bons pais poderiam fazer o mesmo.

  5. eu andei pesquisando em vários sites pois tenho uma apresentaçao paara paresentar sobre rousseau e em alguns falam que o pai dele fugiu quando ele tinha 10 anos e nao que ele morreu.

  6. o pai dele nao morreu quando ele tinha 10 anos. o pai dele saiu de genebra quando ele tinha 10 anos, o deixando aos cuidados de familiares.

  7. Meus parabens Cludio Marcio ,da esse video descobro que vc e uma pessoa Illuminada,eu so um italiano que conhece e ama o brasil ,lhe deixo a minha mail caso vc me entre en contato conmigo,gostaria lhe conhecer

    [email protected]

    abraços

  8. boa gosto muito desse cara, tinha uma concepção errado desse homem, mas examinando sua vida, pude ver claramente sobre sua obra e contribuição.

  9. Rafael"o comodismo é um mal parasitário"A leitura de um livro é necessario" Juventude perdida é o caralho, eu tenho muito mais pra dizer!

  10. Rosseau, viveu a hipocrisia e a imoralidade mas comprovou que todo os hipócritas de moral duvidosa, haveriam de reverencia-lo e ama-lo em todas as épocas.

  11. O que é irônico é que o cara tinha 5 filhos e colocou todos no orfanato e ainda escreve um livro sobre como se deve educar um filho meu Deus do céu

Leave a Reply

(*) Required, Your email will not be published